Pesquisar este blog

Carregando...

domingo, 27 de abril de 2014

UAU!

Dança é dança. Se serve para inspirar, não importa o tipo, vale ver.



Bateu uma inspiração aí? :-)

domingo, 17 de novembro de 2013

Está chegando! Ciclos: Zodíaco - Festival de Dança Étnica Contemporânea 2013

O espetáculo é sábado que vem! E aí, vamos?
Os ingressos podem ser obtidos nos seguintes locais:

Academia Aqua&Cia
(R. Aristodemo Barbieri, 80. Barão Geraldo, Campinas, SP. Telefone: 32891310)

Espaço Cultural Villa D'art 
(Rua Dirce Barbieri Gianese, 148. Vila São João, Barão Geraldo, Campinas, SP. Telefone:32017671)

Ou através do email:




Aguardamos vocês lá! :-)

terça-feira, 1 de outubro de 2013

sábado, 13 de abril de 2013

Tribal Fusion: Rustiqua




Claramente, o post foi influenciado pela minha aula de hoje (guerreiras da dança, sábado às 7:30 da manhã!!!! Isso é que é gostar de dançar! :-)...

O grupo Rustiqua é da Bratislava (A-há! Não sabe onde fica, não é? Tudo bem, eu também tive que consultar a Wikipedia...), capital da Eslováquia. É formado pelas bailarinas Dominika, Denisa e Alexandra

Seguem os vídeos! Enjoy! :-)








O site do grupo segue abaixo (versão em inglês):

Rustiqua Tribal Dance

Elas também tem um grupo no Facebook:

Rustiqua

domingo, 7 de abril de 2013

Danças Ciganas: Kalbelia

Observação

"Notei, ao longo do tempo, que muitas pessoas costumam usar os posts do blog como referências em pesquisas. Para evitar confusões futuras, uma pequena explicação se faz necessária antes de começarmos a falar da Kalbelia...

A primeira vez que eu ouvi falar desta dança foi através da bailarina e professora Kamilla Mesquita, minha companheira no Grupo Amaryllis, responsável por um workshop de danças ciganas. Em outras palavras, a Kalbelia me foi apresentada como uma dança cigana, apesar de não ser muito semelhante à dança romani (ou roma).

Apesar dos ciganos romani terem se originado no nordeste da Índia, o mesmo lugar onde os Kalbelia (este também é o nome deste grupo étnico) se encontram hoje, não encontrei nenhuma referência confiável de que os dois grupos tenham, em um passado distante, tido a mesma origem. 

A palavra "cigano" tem mais de um significado. Segundo o dicionário Merriam-Webster, esta palavra pode ser entendida como:

1. Membro de um povo tradicionalmente nômade que se originou no nordeste da Índia e hoje vive no sul e sudeste da Ásia, Europa e América do Norte. 

2. Viver ou se mover como um cigano.

Estou, portanto, usando a segunda definição de cigano para este post. Em outras palavras, considero a Kalbelia uma dança "cigana" por conta das característica nômades deste povo e não por acreditar que eles tem a mesma origem dos romani. Como eu disse acima, não encontrei nenhuma referência confiável de que este seja o caso. Também não encontrei nenhuma classificação oficial de tipos de dança que a descrevesse como tal. Se isso ocorrer, o post será certamente atualizado no futuro.

As referências destas informações serão colocadas ao final."


Kalbelia



Kalbelia é o nome tanto de uma tribo quanto de uma dança por eles realizada. Os Kalbelia encontram-se no estado do Rajastão, noroeste da Índia, e são nômades. 

Este grupo também é conhecido por serem encantadores de serpentes. Segundo a Wikipedia, sua principal ocupação foi a captura destes animais vivos e o comércio do veneno. Isso mudou com o Ato da Vida Selvagem de 1972. Hoje, o entretenimento é a maior fonte de renda dos Kalbelia. As mulheres ainda vão de casa em casa e cantam de dançam em troca de comida ou doações.

A dança Kalbelia, que inclui diversas danças diferentes, ocorre durante a celebração de qualquer ocasião alegre na comunidade e é parte integral de cultura deste grupo. 

Dependendo do tipo de dança, as mulheres vestem roupas negras e bordadas ou roupas muito coloridas, que contrastam com as cores do deserto. Durante as danças, os homens são responsáveis pela parte musical. As músicas são baseadas em histórias e mitologia. Os Kalbelia também tem fama de não só comporem letras espontaneamente, como também  de improvisarem músicas durante suas performances. 

Dentre as danças Kalbelia, podemos citar a dança Matkee (dançada com diversão diária, por várias mulheres em círculo - no vídeo da Unesco, ela é apresentada em 3:26), a dança Loor (apresentada durante o festival da cores, ou Holi - no vídeo da Unesco, ela é apresentada em 4:40) e a dança da Serpente (que apresenta movimentos que lembram as serpentes - no vídeo da Unesco, ela é apresentada em 7:16).

Tanto a música quanto a dança dos Kalbelia fazem parte de uma tradição oral. Em outras palavras, não existem livros ou manuais que as ensinem ou descrevam. Tudo é passado para as novas gerações de maneira verbal ou através da observação.

Em 2010, passaram a fazem parte da lista de Patrimônio Cultural Imaterial da UNESCO. 


Abaixo, segue o pequeno documentário da Unesco sobre os Kalbelia:




Em seguida, dois vídeos com uma famosa dançarina Kalbelia de Jodhpur, no Rajastão: 
Sua Devi.






Outra famosa dançarina Kalbelia: Gulabo
OBS: esse aqui tem vários movimentos que vi nas duas aulas que fiz de Kalbelia com a Kamilla... Juro, parece fácil, mas não é! ;-)




E aqui, um outro exemplo com Simona Jovic:





Enjoy! :-)


Referências: 

  1. http://www.gildedserpent.com/art36/CaitlynGypsy.htm
  2. http://pt.wikipedia.org/wiki/Ciganos
  3. http://en.wikipedia.org/wiki/Romani_people
  4. http://www.britannica.com/EBchecked/topic/250432/Rom
  5. http://www.merriam-webster.com/dictionary/gypsy
  6. http://en.wikipedia.org/wiki/Kalbelia
  7. http://www.indianfolkdances.com/kalbelia-folk-dances-of-rajasthan.html
  8. http://www.unesco.org/culture/ich/index.php?lg=en&pg=00011&RL=00340
  9. http://www.gildedserpent.com/cms/2012/05/30/divya-venkat-kalbelia/#axzz2PoX0IaLp

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

sábado, 26 de janeiro de 2013

Inspiração: Pablo Acosta, RatXan e Ismael Cisterna

"Sem racismo, sem sexismo, apenas dança" (Dancers over 40)

Devo confessar, a idéia de dançarinos de dança do ventre - vejam bem, não estou me referindo aos dançarinos de Dança Árabe Masculina, e sim, Dança Árabe Feminina - me era meio estranha. Dentre as minhas razões, encontravam-se uma certeza ferrenha de que a dança do ventre era exclusivamente feminina, além de uns exemplos não muito bons encontrados pelos Youtube's da vida.

Mas, nada como um dia atrás do outro!

Ano passado, o SPBF (São Paulo Bellydance Festival) ofereceu 5 workshops a um preço bem razoável. Dentre os professores, encontravam-se Maria Sokolova e Renata Lobo, que foram as minhas principais razões para pensar na inscrição. Os outros professores eram um bailarino argentino, Pablo Acosta, a Kahina e uma bailarina da Hungria, Maya Szekely. Resolvi pesquisar vídeos dos professores que não conhecia e, qual a minha surpresa ao ver o Pablo Acosta dançando... Ele é MUITO bom, tem uma fluidez incrível e é muito preciso. Acabei colocando minhas idéias pré-concebidas sobre bailarinos de dança do ventre de lado, me inscrevi e o resultado foi que, de todos os workshops do SPBF, o que mais gostei foi o dele.  Voltei fã!

De Setembro para cá (logo após o SPBF), comecei a prestar mais atenção em vídeos de bailarinos. Descobri dois outros que também são muito bons: o primeiro é um russo (Oh, surpresa! He, he, he!) chamado RatXan e o segundo, outro argentino, chamado Ismael Cisterna.

Abaixo seguem vídeos dos três, assim como links com informações sobre cada um deles. Enjoy! :-)


Pablo Acosta






Detalhes: ele também dança flamenco! Ah, e vai estar na próxima edição do SPFB, em Setembro de 2013! :-)



RatXan